[Total: 2    Média: 5/5]
Tempo de Leitura: 5 minutos
banner-evolutto-day-2019-min

Hoje veremos 2 problemas já solucionados sobre fluxo de caixa negativo.

O setor financeiro é o termômetro da empresa.

Como tal, é uma área com ENORME poder de evidenciar os problemas e resultados (positivos ou negativos) das ações realizadas.

Peguei dois casos (mudamos os nomes das pessoas e empresas para preservar o cliente) que geraram falta de recursos no caixa (fluxo de caixa negativo) e como fizemos para resolver o problema:

Caso 1

A empresa X é uma indústria de confecções de moda jovem e estava enfrentando um período de grandes dificuldades financeiras, sem recursos suficientes para pagar as despesas do mês, com dívidas junto a fornecedores e impostos.

A proprietária não entendia o que estava acontecendo pois, como fruto de suas ações comerciais, seu faturamento tinha crescido em 18%, em comparação ao mesmo período do ano anterior.

Origem

Ao final do diagnóstico empresarial, pude perceber que, com base no seu histórico de vendas, seu estoque estava 6 vezes maior que o necessário.

Segundo ela os representantes ofereciam descontos elevados se as compras fossem maiores e ela acreditava que isso “valia a pena”.

Sem perceber, acreditando que suas ações estavam “economizando” dinheiro para a empresa, ela foi “esvaziando” o caixa e enchendo o estoque de produtos.

Solução

  1. A primeira ação foi analisar a movimentação dos produtos, estabelecendo a curva ABC e o tamanho ideal do estoque para atendimento de 50 dias de vendas.
  2. A segunda foi contar o estoque. Fizemos isso através da contratação de empresa especializada que trabalha durante o período da noite e garante uma contagem 100% segura, sem falhas.
  3. De posse desses dados foi possível comparar o que estava “sobrando” e aquilo que estava faltando, pois, seu estoque mesmo em volumes totais 6 vezes maior que o necessário, estava “quebrado”, ou seja, muito dos produtos de pouco giro e pouco dos produtos de giro elevado.
  4. De posse de todas as informações e análises, fizemos uma grande liquidação dos produtos para recuperar os recursos financeiros que estavam sob a forma de mercadorias e tecido.
  5. Imediatamente ao início da liquidação, que tinha como duração máxima 20 dias, fizemos os diversos pedidos de mercadorias que iriam abastecer a empresa dos produtos em falta.
  6. Como resultado, ao final de 20 dias, a empresa recuperou parte dos recursos financeiros e conseguiu equilibrar as finanças. Algumas peças, principalmente aquelas de baixo ou nenhum giro, continuaram com preços de liquidação.

Caso 2

Uma distribuidora de material de limpeza tinha em sua composição de vendas, 70% de todo seu faturamento direcionado a um grupo de produtos – Papel toalha.

O empresário não compreendia que mesmo com os 23% de acréscimos de vendas em comparação com o mesmo período do ano anterior, sua dificuldade financeira era cada vez maior.

Estava endividado com os bancos em recursos de curto prazo (empréstimos), já não conseguia pagar todos os impostos e os pagamentos de alguns vendedores estavam em atraso.

Origem

Em análise dos dados financeiros históricos, foi possível fazer a validação do preço dos principais produtos, onde percebemos que o preço da caixa de papel toalha gerava um prejuízo de 7% (sete por cento) em cima de seu preço final.

Dessa forma, quanto mais papel toalha a equipe de vendas vendia, maior o tamanho do “buraco” no fluxo de caixa da empresa.

Como o prejuízo financeiro mensal era baixo, mas constante, foi muito difícil perceber a real origem dos problemas, apesar dos controles financeiros já terem dado diversos sinais de desequilíbrio financeiro.

Solução

  1. De posse das informações financeiras mensais, foi possível refazer a formação do preço dos principais produtos. Alguns produtos tiveram reajustes positivos no preço, alguns fornecedores foram trocados na busca de melhores condições de compra, alguns produtos tiveram reajuste negativo pois, estavam com valores acima das condições de mercado e outros eliminados pois não tinham giro e lucratividade compatível com o desejo dos sócios.
  2. Foi possível desenvolver uma ferramenta de formação do preço de venda um um fluxo operacional onde no último dia do mês as informações são atualizadas com os dados mais recentes e novas análises são feitas.
  3. Os valores de empréstimos foram renegociados com os bancos, colocando-os nas condições máximas que a capacidade de pagamento da empresa permitia.
  4. A empresa levou 7 meses para reequilibrar totalmente seu caixa e está vigilante todo dia evitando que problemas como esses voltem a acontecer.

Quer saber mais sobre o assunto, então assista o vídeo abaixo, que gravei mostrando passo a passo como calcular corretamente o preço de venda de um produto.

Forte abraço e bons negócios. Qualquer coisa é só me chamar por aqui.