Tempo de Leitura: 6 minutos

O objetivo deste artigo é evidenciar a importância da gestão financeira junto do planejamento financeiro para sobrevivência das empresas.

Através de uma metodologia gerencial que permite estabelecer a direção a ser seguida pela organização.

A problemática a ser analisada é que muitos empresários não estão preparados para administrar seus recursos financeiros.

A metodologia utilizada para elaboração desse artigo remete a pesquisa bibliográfica, com base em livros técnicos da área de Administração Financeira.

Bem como em artigos científicos via Internet na área de Planejamento Financeiro e teve como resultado a avaliação de que uma das maiores dificuldades enfrentadas pelos empresários no processo decisório deve-se a falta de informações e que estes, na sua maioria, não utilizam os dados financeiros das empresas devido a sua complexidade.

A pesquisa permite ainda constatar através de levantamento de dados estatísticos no SEBRAE da situação que se encontram as micros e pequenas empresas no Brasil.

Pode concluir-se que o planejamento financeiro é fundamental para continuidade das empresas.

É ele que estabelece o modo pelo quais os objetivos podem ser alcançados.

Manter o controle financeiro é de suma importância para qualquer empresa.

O controle e o planejamento financeiro se fazem necessários em qualquer tipo de empresa, independente de seu ramo de atuação.

Em geral, as micro e pequenas empresas, apresentam um quadro crítico, devido ao fato de possuírem baixo conhecimento de técnicas administrativas, associado aos problemas de falta de capital de giro.

Gestão Financeira

A GESTÃO FINANCEIRA é o conjunto de ações e procedimentos administrativos envolvendo o planejamento, análise e controle das atividades financeiras da empresa, visando maximizar os resultados econômico-financeiros decorrentes de suas atividades operacionais.

As principais funções da GESTÃO FINANCEIRA são:

  • Análise e Planejamento financeiro
  • Captação e aplicação de Recursos Financeiros
  • Crédito e Cobrança

Com a Gestão Financeira é possível estabelecer métodos pela quais as metas financeiras devem ser atingidas.

A meta mais frequente adotada pelas empresas é o crescimento das vendas e lucratividade.

Erros mais comuns na Gestão Financeira:

  • Possuir informações incorretas
  • Desconhecer se a empesa está tendo lucro ou não em suas atividades operacionais
  • Cálculo incorreto do preço de venda de seus produtos e serviços
  • Desconhecer o volume e a origem dos recebimentos e o destino dos pagamentos
  • Desconhecer o custo de produção (para indústrias), das mercadorias vendidas (para o comércio) e do valor dos serviços prestados (para prestadores de serviços).
  • Desconhecer o valor das despesas fixas e variáveis da empresa
  • Desconhecer o CICLO FINANCEIRO de suas operações
  • Não possuir um sistema de informação gerencial (Fluxo de caixa, demonstrativo de resultados e balanço patrimonial).

Como evitar que esses erros aconteçam?

Ferramentas básicas de Controle Financeiro

A gestão financeira de uma empresa seja ela indústria, comércio ou serviço, não é tarefa fácil.

Não é uma atividade exercida por meio de suposições, de “achismos” ou ainda de previsões astrológicas.

Ela deve ser realizada por meio dos dados reais da empresa.

Deve utilizar-se de ferramentas de gestão que venham a permitir um elevado grau de certeza, minimizando os eventuais riscos operacionais.

O Controle Financeiro é essencial no processo de gestão para a saúde da empresa.

Quais são esses Controles Financeiros?Por que e para que utilizar os Controles financeiros?
• Movimento de Caixa• Controlar entradas e saídas da empresa
• Contas a pagar• Por meio de dados existentes e análises de mercado, projetar os meses subsequentes.
• Contas a receber
• Controle bancário• Verificar a situação da empresa e analisar como maximizar os resultados
• Fluxo de caixa
• Apuração de resultados• Apuração de resultados

 

Essas ferramentas gerenciais, muito pouco utilizadas pelos empresários de pequenos empreendimentos.

Em geral, fornecem uma visão clara da movimentação atual e futura de entrada e saída de recursos financeiros.

Seu uso permite um gerenciamento eficaz, evitando concentração de vencimentos de obrigações assumidas pela empresa em datas que não há entradas para esses pagamentos.

O comprometimento por parte dos empresários ou gestores, na elaboração, gerenciamento e utilização desses controles, é fator preponderante para a obtenção maior de sua eficácia na utilização dos recursos financeiros da empresa e uma maximização do lucro.

De nada adianta sua elaboração, sua precisão, sua amplitude, caso não venha a ser utilizado como elemento auxiliar no processo de gestão.

Cabe ao administrador – que, dependendo do tamanho da empresa é o próprio dono – realizar os Controles Financeiros, facilitando o processo de tomada de decisão e, consequentemente, contribuindo para o crescimento da empresa.

Fluxo de Caixa

A movimentação é constante.

Provavelmente todos os dias você, como empresário, faz vendas, pagas com cheques pré-datados e todos os dias você deposita no banco cheques que foram pré-datados para aquele dia.

O mesmo raciocínio serve para duplicatas a pagar, já que provavelmente você deve constantemente fazer compras com duplicatas e, diariamente, efetuar pagamentos de duplicatas que estão vencendo.

O Fluxo de Caixa é uma ferramenta gerencial de planejamento que, proporciona uma antevisão do futuro financeiro da empresa, permitindo ações preventivas e saneadoras ou um melhor aproveitamento das sobras de caixa.

Embora sua finalidade principal seja projetar informações, pode ser usado também para registro e controle financeiro.

Funções do Fluxo de Caixa

  • Controlar o capital de giro
  • Estudar a viabilidade de um projeto (capacidade de gerar caixa)
  • Captar a confiança dos credores ao procura-los com antecedência
  • Controlar os eventuais desvios identificados em relação aos planos traçados (orçado x efetivado)
  • Prever possíveis aplicações financeiras ou necessidades de aporte de recursos financeiros.

Onde obter informações para a Fluxo de Caixa

  • Movimento de caixa
  • Contas a pagar
  • Contas a receber
  • Controle bancário

Para que você elabore um fluxo de caixa projetado/previsto (com projeções de entradas e saídas), repare e analise os padrões e as sequências das compras e vendas à vista em sua empresa.

Analise em que períodos do mês as entradas são maiores ou menores.

Geralmente dos dias 05 a 10, época de recebimento de salários da maioria, as entradas são maiores do que os últimos dias do mês.

Existe um ditado que “Planejamento é uma trilha e não um trilho”.

Ele é verdadeiro, uma vez que planejar não significa que tudo que foi idealizado será exatamente igual quando for realizado.

O importante é saber que existe um caminho para seguir e ficará muito mais fácil decidir por uma mudança caso tenha que buscar novos rumos.

Faça seu planejamento, mesmo tendo dúvidas, pois a cada novo planejamento suas projeções estarão mais próximas da realidade.

Orçamento

Orçamento é uma ferramenta de gestão que explicita as intenções da empresa em termos financeiros.

O orçamento é uma ferramenta adotada para o controle de suas finanças, sendo que contemplam duas das funções básicas: o planejamento e o controle.

O orçamento é um resumo dos planos da empresa, e estabelece metas específicas das atividades de venda, produção, distribuição, financeira, etc. e, que geralmente, é representado por um orçamento de caixa, orçamento de despesas e orçamento de faturamento.

Entre as muitas vantagens que temos em possuir um orçamento, podemos apresentar alguns itens importantes como: acompanhar a relação entre o orçado X realizado no que diz respeito às despesas mensais, vendas e compras; forçar os administradores a pensar no futuro e planejá-lo; revelar as possíveis falhas ou problemas que a empresa pode vir a encontrar antes que eles ocorram; e definir metas que servirão de níveis de referência para a subsequente avaliação de desempenho.