Tempo de Leitura: 7 minutos

É comum pensarmos o quanto nossa empresa vem evoluindo ao longo do tempo.

E quanto o Balanço Patrimonial ajuda nisso.

Vou confessar uma coisa a você, se pararmos friamente para analisar temos uma infinidade de ferramentas a nosso favor, para que possamos acompanhar diariamente, semanalmente, mensalmente, e até anualmente.

Mas uma coisa é fato, nem sempre temos disponibilidade para trabalhar com todas estas ferramentas, sem falar na dificuldade que pode ser escolher a ferramenta adequada para a nossa empresa.

Quantas decisões precisamos tomar no dia a dia, estamos sempre ocupados, “apagando incêndio”, e não culpo você por isso, no entanto, é necessário sacudir a poeira e dar uma virada em nossas atitudes e hábitos.

Vou sugerir a você que comece utilizando ferramentas simples, não fique tentando reinventar a gestão buscar novos indicadores que estão na moda, relatórios diferentes, não que isso não seja importante.

Mas será que estamos utilizando do básico em nosso dia a dia?

Sendo mais objetivo vamos falar de Balanço Patrimonial.

Quantas vezes você já parou para analisar o Balanço Patrimonial da sua empresa?

Seja ele um relatório gerencial ou mesmo o que é feito pelo contador, o balanço fiscal.

Quantas vezes você e sua equipe já parou para fazer um levantamento do Balanço Patrimonial da sua empresa?

É difícil?

Nunca?

Faz de vez em quando?

Você sabe exatamente como o Balanço Patrimonial pode ajudar sua empresa a tomar melhores decisões?

Vamos lá…

No Balanço Patrimonial podemos encontrar uma infinidade de informações que pode ao menos nos gerar muitos questionamentos que não fazíamos antes, questionamentos estes que tira a empresa da “zona de conforto”.

Se olharmos para a diferença encontrada entre o Ativo Circulante e o Passivo Circulante podemos identificar a nossa capacidade de honrar os nossos compromissos de curto prazo.

Será que a empresa tem gerado caixa suficiente para honrar os compromissos assumidos no curto prazo?

Quando encontramos um Passivo Circulante maior que o Ativo Circulante nos vem a pergunta.

Podemos comprar mais no longo prazo?

E quanto ao valor do estoque?

Pode ser diminuído, aumentado?

Por que estamos mantendo um valor de estoque tão alto?

Ou mesmo tão baixo?

Podemos confiar no valor do estoque que está sendo apresentado?

Quais são os produtos com maior volume?

Temos produtos sazonais que tem giro somente para o próximo período?

Quanto deste estoque está pago?

Consegue responder a todas estas perguntas?

Analisando as Contas a Receber, percebemos que o valor pode ser alto.

Esse valor está a vencer em quais meses?

E o que está vencido?

Está vencido a quanto tempo?

Olha só, nem falamos ainda em lucro, despesas, pois estas informações são encontradas na DRE, estamos olhando apenas algumas contas Ativo Circulante e do Passivo Circulante.

Consideremos apenas o grupo de contas a receber.

Imagine que você resolva fazer uma análise mais minuciosa nos números e identifica que pode diminuir o saldo que tem na conta.

Mas espere aí, está me dizendo que ter saldo acumulado na conta de duplicatas a receber é ruim?

Nem sempre, mas a questão que devemos nos preocupar é com a qualidade dos títulos que constam nessa conta.

E se a maioria dos títulos que constam nessa conta é título que está nas mãos de clientes duvidosos?

Essa questão poderia ser resolvida com uma boa concessão de crédito, uma maior eficiência na gestão da inadimplência.

Mas e como fazer a gestão da inadimplência?

É assunto para uma outra hora.

A análise do Balanço Patrimonial tem por objetivo gerar questionamentos, analisar se estamos ou não confortáveis com os resultados apresentados.

Tá vendo só?

Você que é gestor normalmente fica o dia todo correndo atrás das respostas.

É aquele jogador que fica na defesa, mas não consegue ver uma bola quicando na área do adversário e ninguém aparecer pra chutar para o gol, você vai lá e resolve, marca o gol.

Pega uma planilha eletrônica, um relatório e começa a trabalhar a informação, leva o trabalho pra casa, mistura a vida pessoal com a vida profissional e esse ciclo se repete ao longo dos meses, dos anos, até que se torne algo normal, em que você chega à conclusão de que é impossível crescer e o seus sonhos se resumem em fazer somente o básico.

Apagar incêndio!

O motivo para isso é bem simples, sua equipe não tem iniciativa, as pessoas não se comprometem com o resultado, estão aqui somente por conta do salário, e tantos outros motivos.

Quer saber, pare de jogar a culpa na sua equipe, se olhe no espelho.

Envolva a sua equipe na construção do Balanço Patrimonial, defina metas de melhoria dos resultados.

Mostre onde quer chegar.

Divida com sua equipe os seus sonhos.

Conte para eles o que fez você se tornar um empreendedor.

Utilize o Balanço Patrimonial para dar o ponta pé inicial e a partir dele crie os próximos indicadores, comece a utilizar o Fluxo de Caixa, valha-se de indicadores de desempenho que mais de adeque ao seu negócio.

Vai lá! Faça acontecer!

Cobre da sua equipe para que tenham comprometimento com a veracidade dos números que são apresentados no Balanço Patrimonial.

Não sabe como fazer isso?

Vou dar a você algumas dicas aqui de como fazer a primeira reunião com sua equipe.

4 Dicas de Balanço Patrimonial para trabalhar com sua equipe

1ª Dica

Sua empresa precisa ter um profissional responsável pela conciliação bancária.

A conciliação bancária irá refletir diretamente na conta Disponibilidades do Balanço Patrimonial.

2ª Dica

Precisa de um profissional que cuide das contas a receber.

E não pense que contas a receber é simples.

Esse processo deve estar em total sinergia com o faturamento, com a conciliação bancária, com os caixas.

É parar um dia, anotar o saldo total de contas a receber, e a partir dessa data fazer o acompanhamento deste saldo.

Como?

Saldo anterior + vendas a prazo – recebimentos = saldo final.

Se essa operação não fecha no final do dia deve ser identificado o motivo pelo qual os saldos não fecham.

Ah! E lembre-se, faz parte da gestão das contas a receber o controle efetivo de cartões de crédito, de cheque pré-datado, de adiantamento de clientes de venda para recebimento futuro, prestar contas pelos acordos feitos, os descontos concedidos, os juros cobrados, a inadimplência.

Nossa! Como dá trabalho gerenciar uma empresa né?

3ª Dica

Quem na empresa é responsável pela gestão do estoque?

Cuidar do saldo de estoque é anotar o saldo inicial, garantir que as compras foram realmente registradas de forma correta no estoque, e garantir que o custo das vendas foi subtraído da conta, de forma que o número reflita realmente o que consta no estoque físico.

4ª Dica

Identifique na sua empresa que é a pessoa que tem maior habilidade para cuidar das contas a pagar, diariamente.

O que foi comprado ontem? Qual o valor das compras? O que foi pago ontem?

Perguntas como essa devem ser respondidas diariamente, e de forma simples e objetiva.

Alguém na empresa precisa cuidar dessa informação.

Responder a perguntas tais como: como tem comportado o nosso prazo médio de pagamento?

Como está a concentração das nossas contas a pagar?  Estamos muito dependentes de poucos fornecedores, de muitos? O que isso quer dizer?

E tantas outras perguntas que ao acompanhar a evolução do saldo de contas a pagar nos fazem refletir sobre as decisões que estamos tomando diariamente.

Enfim, veja que gerenciar uma empresa com qualidade não é tão simples assim.

Você agora deve estar pensando! Nossa! Vou ter que contratar mais gente, vou precisar investir na minha estrutura operacional.

Saiba que muitas melhorias podem ser feitas antes de tomar essa decisão.

Se você tem uma equipe grande ou pequena, se o seu faturamento é alto ou baixo.

Tenho que dizer a você, independente do seu porte, sua estrutura, estas ações são básicas na gestão de uma empresa.

Saiba que ela não sobreviverá somente de vendas, se não tiver uma boa gestão administrativa, financeira e operacional, sua equipe de vendas vai colocar cada vez mais dinheiro dentro de casa e cada vez mais esse conforto de não gerenciar bem os recursos fará com que sua empresa perca a eficiência operacional, verá que ao longo do tempo o seu maior problema não será o faturamento e sim a desorganização financeira e operacional

Costumo dizer para meus clientes, o problema da maioria das empresas não é faturar.

Não estou dizendo que vendas não é importante, longe disso, pois a empresa só existirá se estiver vendendo.

Quero dizer que se o dinheiro que é trago para dentro de casa não é tratado com carinho, disciplina todo o esforço é em vão.

Então se sua empresa é pequena e não consegue identificar um responsável por cada um dos controles citados anteriormente, pense que vocês podem ao menos se organizar nestas atividades.

Pense que na sua empresa tenha os diversos crachás em um cabide, conforme citado aqui, uma da conciliação bancária, outro das contas a receber, um para o estoque, um para as contas a pagar etc. e que cada hora um funcionário irá até o cabide e pegar um crachá para resolver um tipo de problema.

Tá vendo só, chegamos ao ponto de falar sobre a organização das atividades diárias, da disciplina na rotina, da disciplina com os processos.

Por fim, veja que é possível, com um pouco de organização, esforço e disciplina construir e utilizar o Balanço Patrimonial para fazer a gestão da sua empresa.

E ainda tem gente que diz que Balanço Patrimonial não é importante.

Fala sério, você imaginava que neste relatório poderia sair tanta informação boa?

Deixe seus comentários aqui embaixo, se gostou compartilha, se não gostou deixe também seus comentários.

Ainda não ficou claro tudo que falei aqui, não consegue identificar sinergia com o conteúdo em sua empresa e quer saber mais detalhes, não hesite em entrar em contato comigo.

Terei o maior prazer em conversar com você a respeito.

Forte abraço! Que sua empresa tenha cada vez mais SUCE$$O!