[Total: 5    Média: 5/5]

Em nosso trabalho de consultoria, tenho ouvido muito dos empreendedores, pequenos empresários e inclusive dos médios empresários em nossa conversa inicial a seguinte frase:

“Eu não sei quanto eu gasto e nem se realmente tenho lucro, vejo que entra dinheiro, mas no final do mês não me sobra nada, como faço pra saber?”.

E acredito ser a pergunta que a grande maioria de pessoas que tem algum tipo de negócio se faz.

Muitas pessoas abrem uma empresa ou um pequeno negócio por conta da necessidade e a grande maioria não está preparada ou não busca conhecimento para entender sobre a gestão de um negócio. Algumas pensam que é só você comprar um produto e colocar 50% a mais para vender e ter lucro, a gestão de um negócio é muito mais que isso.

 

Quando você possui ou vai iniciar um negócio é fundamental entender quanto gasta para manter sua empresa em funcionamento para conseguir saber qual é o seu lucro.

 

Se você não sabe os custos da sua empresa, você poderá estar no vermelho e aí nessa situação você fica se perguntando “eu vendo todo dia e cadê meu dinheiro? “Como você vai ver o dinheiro se você não sabe onde gasta?

É essencial conhecer os custos do seu negócio, não é simplesmente entrar de cabeça sem calcular os custos corretamente, dessa forma você acabará fechando sua empresa porque não conseguirá pagar as contas.

O empreendedor precisa saber quanto gasta e quanto irá gastar para manter as atividades da empresa como o seu salário como dono do negócio, a compra de produtos, aluguel – se tiver um ponto comercial, despesas com entrega, energia elétrica, água, internet, gastos com propaganda, compra de máquinas ou utensílios. São vários gastos em um negócio.

Uma das formas de entender as entradas e saídas do dinheiro na empresa é por meio do fluxo de caixa.

(o artigo continua após a planilha bônus que fiz exclusivamente para você)

DEIXO AQUI O MÉTODO MAIS FÁCIL DE COMEÇAR UM FLUXO DE CAIXA

Baixe agora o template de Projeção de Caixa Mensal GRATUITAMENTE

Mas afinal o que é o Fluxo de Caixa?

O fluxo de caixa é o movimento de entrada e saída de dinheiro da companhia. Normalmente essa entrada se dá por meio das atividades de prestação de serviços ou venda de produtos pela empresa e sua saída pelo pagamento das despesas, como por exemplo, água, boletos de fornecedores, energia elétrica, dentre muitos outros.

E para que serve o Fluxo de Caixa?

O fluxo de caixa é um dos instrumentos mais importantes para que você consiga organizar a vida financeira do seu negócio, planejar suas compras, pagar suas contas em dia, elaborar a política de vendas de seus produtos, entre outras inúmeras finalidades onde o controle do fluxo de caixa é essencial para todo o planejamento da companhia.

Como faço um Fluxo de Caixa?

Primeiramente você pode começar anotando todas as saídas (contas já assumidas – boletos de cobrança, etc.) e também todos os recebimentos (vendas já realizadas), dia após dia. Caso você não queira nem ter esse trabalho, nossa consultoria resolve esse problema.

Depois você pode lançar uma previsão das contas que você possuiu todo mês como funcionários, água, impostos, energia elétrica, etc., sem esquecer da compra de matérias primas e mercadorias prontas para venda.

Para finalizar você deve lançar uma previsão das suas vendas nesse período, tendo atenção para estimar o mais próximo da realidade, se possível baseado em suas experiências anteriores.

Para esse planejamento você pode utilizar uma planilha eletrônica, essa que eu coloquei aí em cima para você baixar é perfeita para isso, pois com ela você consegue ver diariamente como está a situação financeira da companhia. Se as entradas são maiores do que as saídas, temos um saldo positivo, caracterizando uma situação superavitária, ou seja, uma sobra de dinheiro. Por outro lado, quando a saída é maior do que a entrada, temos uma situação deficitária, além de um problema gigantesco!

Essas informações irão ajudá-lo antecipar decisões em situação de falta de dinheiro ou em situação de sobra de dinheiro.

Agora tudo isso nos leva a uma outra pergunta:

O que faço para que possa ter uma reserva para os dias em que o recebimento é menor que os pagamentos? Ou seja, quanto de capital de giro seria adequado para que minha empresa pudesse atravessar esses períodos?

Existe uma forma simples de fazer esse cálculo, num determinado período por exemplo, semanal, mensal, trimestral, semestral ou anual:

Capital de Giro = (contas a receber, caixa, aplicações financeiras, bancos, dentre outros recursos) – (fornecedores, contas a pagar, empréstimos…).

Resumindo, deve-se calcular tudo que possui de dinheiro disponível em caixa, nos bancos sejam em aplicações ou na conta corrente e tudo que já vendeu e irá receber, desse montante descontar tudo que terá que pagar como as contas que possui todos os meses, os fornecedores e também empréstimos contraídos caso haja.

Mas quais são os riscos de um mau controle?

Na situação onde os recebimentos são menores que os pagamentos, você deverá antes de tudo falar com a gente, para começarmos a resolver essas questões. Ou pode optar em primeira instância como muitos fazem que é recorrer à bancos como empréstimos ou entrar no cheque especial, pagar juros e ver seu lucro ir embora ou ainda numa situação mais drástica não conseguir pagar suas contas e ter que fechar a empresa.

Por fim, ficou alguma dúvida do que é essencial?  Então entre em contato com a gente que será um prazer atendê-lo. E lembre-se:

Nunca deixe de registar todos os pagamentos e recebimentos, só assim conseguirá controlá-los.