[Total: 16    Média: 4.9/5]
Tempo de Leitura: 3 minutos

Certamente a maneira como as empresas trabalham está sendo transformada pelo uso cada vez maior e melhor da tecnologia da informação.

Assim as habilidades e competências das pessoas que trabalham nessas empresas também sofreram mudanças.

Com isso alguns empresários estão modificando seus modelos de gestão para se adaptar a este novo momento.

Ao mesmo tempo que novos mercados estão surgindo e outros desaparecendo.

Portanto temos empresas usando largamente a tecnologia e outras nem tanto.

Há inclusive um movimento maior de empresas buscando processos mais enxutos e um jeito diferente de focar no cliente, proporcionando experiências e não apenas vendendo produtos.

Desse modo a gestão empresarial precisa ser fluida, flexível, multidisciplinar e ser capaz de gerar melhores resultados para o negócio.

Por melhores resultados compreende-se o conjunto dos impactos positivos que uma empresa bem administrada é capaz de produzir.

Assim, é preciso avaliar não somente o lucro financeiro, mas também a sua capacidade de buscar seus propósitos em completa harmonia com o contexto onde está inserida e com o qual interage (colaboradores, clientes, fornecedores, sociedade, etc.).

Mas o que fazer para gerar estes impactos positivos?

Como propiciar melhorias na qualidade de vida das pessoas envolvidas no negócio?

Todo negócio possui três pilares fundamentais: Pessoas; Estratégias e Finanças.

Ou seja, um não sobrevive sem os outros.

A gestão estratégica de negócios trabalha continuamente estes pilares, ajustando-os, para alcançar bons resultados e o sucesso.

O primeiro, e mais importante, passo é identificar como está o negócio hoje (estado atual), qual o nível de maturidade que o empreendimento alcançou?

A empresa pode ter anos de existência com uma gestão fraca, como pode ter poucos anos de existência com uma gestão afinada.

Assim, deve-se refletir como está cada um dos pilares.

Alguns exemplos de questionamentos que devem ser analisados:

Pessoas

Como está o comprometimento dos colaboradores?

Existe preparação das pessoas para o exercício de suas funções e integração à cultura organizacional?

É feita a avaliação de desempenho das pessoas e das equipes?

Os líderes estão preparados e possuem inteligência emocional?

Existe avaliação periódica do clima organizacional?

Estratégias

Existe um modelo de gestão claro?

Há definição de valores, princípios e diretrizes organizacionais?

Os gestores conhecem as ameaças e oportunidades do negócio?

Os objetivos e metas foram definidos?

Existe um plano de ação e avaliação de execução?

Os produtos ou serviços estão sendo entregues com qualidade?

Existe combate aos desperdícios?

Qual o nível de satisfação dos clientes?

Finanças

Como está a saúde financeira da empresa?

Existe um orçamento quanto a receita e despesas?

Há um plano de otimização de custos?

Existe gestão do fluxo de caixa?

Possui controle dos resultados mensalmente?

Há gestão da cobrança (contas a receber)?

O segundo passo é definir onde se quer chegar.

Primordialmente é olhar para o futuro (estado desejado) e criar objetivos e metas claros, lembrando de usar o padrão SMART para definir esses objetivos e metas.

O terceiro e último passo, é traçar um plano de ação.

Definir tarefas a serem executadas e que vão gerar mudanças.

Assim, será possível reduzir, ou até mesmo eliminar o que está atrapalhando a sua empresa no alcance do tão sonhado sucesso.

Então para auxiliar a iniciar sua caminhada rumo à implantação da gestão estratégica de negócios em seu empreendimento, segue um diagnóstico inicial, basta preencher os dados e responder.