Tempo de Leitura: 4 minutos

Neste post, apresentamos alguns exemplos de “sinais” vindos da operação da empresa que são importantes para reflexão, avaliação e decisão do empresário quanto a iniciar um novo ciclo de transformação da sua empresa, partindo para o desenvolvimento de um processo de Planejamento Estratégico.

Acompanhe!

O meio ambiente de negócios em que sua empresa está inserida é um mar calmo ou sujeito a constantes tsunamis?

Independente do seu ramo de atuação, podemos afirmar que o mar está muito turbulento com ondas de todos os tamanhos, transformando os negócios, em uma velocidade sem precedentes.

As mudanças vieram para ficar, gostemos ou não!

Alguns sinais que podem estar sendo sentidos por sua empresa:

Novos concorrentes chegando a todo momento, capitalizados e com produtos e serviços que agregam novas tecnologias que melhoram a qualidade e barateiam o preço final dos produtos.

Mudança brutal dos hábitos dos consumidores que compram seus produtos atuais.

Órgãos reguladores em constante movimento implementando ou alterando as normas que regem vários processos na empresa.

Economia do país com grande tendência de crescimento aumentando o poder de compra da população.

Nova legislação em gestação que pode abrir novos mercados para sua empresa.

Pergunta:

Sua empresa está preparada para “surfar” nestas ondas e aproveitar ao máximo as oportunidades que podem surgir e, também, preparada para enfrentar as ameaças que normalmente acompanham as oportunidades?

Se a resposta for “NÃO”, temos certeza que o desenvolvimento de um processo de Planejamento Estratégico será essencial para sua empresa aproveitar as melhores ondas e surfar rumo ao crescimento sustentável!

Seus processos internos funcionam como um relógio suíço?

Você identifica na sua empresa ocorrências semelhantes as descritas abaixo?

Quantas ligações recebi de clientes dizendo que a encomenda ainda não chegou ou está XX dias atrasada.

Nosso fluxo de caixa tem apresentado muitas distorções pois não está integrado com os demais sistemas financeiros.

A sensação dos colaboradores é que estão trabalhando muito e não percebem melhorias nos resultados, gerando uma grande frustração e sensação de estarem fazendo muitas atividades e que em sua maioria, não agregam valor ao cliente.

Não conseguimos reter bons funcionários.

Há um grande atraso na geração do resultado financeiro de cada mês, prejudicando qualquer tomada de decisão no sentido de corrigir algum processo.

Não há confiança no processo de geração dos principais indicadores de desempenho da empresa gerando muitas incertezas para tomada de decisão.

Estamos perdendo muitos clientes, mas não sabemos os motivos.

Trabalhamos com muita improvisação e informalidade em boa parte das nossas áreas internas.

Caso você tenha identificado que muitas das dores exemplificadas acima também ocorrem na sua empresa, pergunto:

Há algum plano em andamento para identificar as causas dos problemas e/ou ações para resolvê-los?

Se a resposta for “NÃO”, temos certeza que o desenvolvimento de um processo de Planejamento Estratégico será essencial para diagnosticar e tratar as causas das dores da empresa e melhorar a performance da operação como um todo.

Desenvolver o planejamento estratégico não é complexo e de custo elevado?

Felizmente, o tema planejamento estratégico vem, gradativamente, deixando de ser uma exclusividade de grandes empresas passando a fazer parte da preocupação dos proprietários de micros e pequenas empresas que até a pouco tempo achavam que o planejamento era uma atividade altamente complexa e com elevado custo de desenvolvimento e implementação.

A divulgação de inúmeros artigos referentes ao tema planejamento estratégico tem ajudado muito a desmistificar sua complexidade e, com a concorrência existente entre as consultorias especializadas, o custo passou a ficar muito mais acessível e compatível com o porte destas empresas.

A minha empresa é pequena e tanto eu como os principais gestores não teremos tempo para nos dedicar ao desenvolvimento do planejamento estratégico.

Este é o grande conflito que existe em toda empresa, especialmente com as micros e pequenas que, normalmente, tem como prioridade a operação, e a operação sem planejamento.

Portanto, dar importância e prioridade ao planejamento é uma mudança cultural dentro da empresa.

Para isto acontecer, o processo de planejamento estratégico precisa ser capitaneado do início ao fim pelo líder maior da organização, ser compartilhada e apoiada pelos demais gestores, de forma franca e sincera e que precisam estar cientes da responsabilidade que terão pela frente.

Sem este comprometimento o processo não terá sucesso!

Esperamos que este post tenha sido útil e ajudado na construção da sua tomada de decisão.

Para saber mais sobre a nossas soluções, entre em nosso site e agende uma reunião com nossos especialistas.